Shueisha e suas revistas de mangás

A Shueisha é atualmente a maior editora de mangás do Japão, dominando o mercado juntamente com Kodansha e Shogakukan. A empresa foi fundada em 1925 como uma subsidiária da editora Shogakukan e que acabou virando uma empresa independente um ano depois em relação a sua empresa matriz.

A Shogakukan e Shueisha são empresas rivais há vários anos mas as duas eram extremamente próximas e de certa forma ainda o são: Shogakukan ainda detém 50% das ações da Shueisha e as duas empresas são parte de um grupo chamado Hitotsubashi onde também está a Hakusensha que foi fundada pela Shueisha e é outra editora de mangás do mercado japonês. Juntas, as três fazem parte desse grupo que foi fundado pela Shogakukan para que pudesse ajudar a Shueisha e a própria empresa a crescer, mesmo que as duas fossem rivais já nessa época.

Pulando essa parte histórica de introdução, eu não estou aqui para falar sobre a história da Shueisha per se. É uma história interessante, sem dúvida, mas isso seria algo para outro texto. Estou aqui para falar do ramo em que essa empresa em questão é famosa: Revistas de mangás. Obviamente, a Shueisha publica muitas coisas além disso como livros, light novels, revistas e outras coisas mas a parte que importa para esse texto são as revistas de mangás e os mangás em si já que esse é um blog para esse fim.

Partindo desse princípio, aqui listarei as principais revistas de mangá publicadas pela Shueisha (que ainda estão ativas) com detalhes das mesmas incluindo mangás de destaque e outras informações começando pelas revistas de demografia Shounen, indo para Seinen, Shoujo e por fim Josei. Como curiosidade, todas as revistas de mangás destinadas ao sexo masculino independente de ser Shounen ou Seinen tem Jump no nome, o que não ocorre em revistas femininas em que os nomes não possuem essa semelhança. Apesar disso, somente os mangás das revistas Shounen são parte da linha Jump Comics.

Weekly Shounen Jump

Frequência: Semanal
Demografia: Shounen
Criação: 1968
Circulação: 1,915,000
Mangás de destaque: One Piece, Naruto, Dragon Ball, Bleach, Slam Dunk, Death Note, Kochikame, Hunter x Hunter, Gintama, Yu Yu Hakusho, Nisekoi, I”s, Hokuto no Ken, Dr Slump, Yu-Gi-Oh, Haikyuu, Boku no Hero Academia, Assassination Classroom, Rurouni Kenshin, Saint Seiya, Captain Tsubasa, The Prince of Tennis, Kinnikuman

A Shounen Jump é a maior, mais popular e famosa revista dedicada a mangás do Japão e com a maior circulação dentre todas elas. É dessa revista que boa parte dos mangás e animes mais famosos surgiram e de onde boa parte dos mangás mais vendidos da história estão.

A revista possui duas revistas irmãs que no caso são a Jump Square (Jump SQ) e a Saikyou Jump. Além disso, há revistas spin-offs como a Jump Giga que ainda é ligada a Shounen Jump e onde é publicada histórias paralelas de mangás da Shounen Jump, além de one-shots e histórias novas.

Além disso, a Shueisha criou em 2014 uma publicação digital com vários títulos dela e títulos novos chamada de Shounen Jump+ onde você pode ler de graça os mangás pelo computador, android ou iOS e também comprar edições digitais da revista principal lá. Algo também interessante é que alguns mangás cancelados na revista principal tiveram continuações nessa publicação como iShoujo e outros mangás. Fora isso, muitos mangakás que não obtiveram sucesso na revista principal conseguiram alcançar um sucesso dessa forma com novas séries como KAITO e Yasuhiro Kano. Ou mesmo Shinohara Kenta (Sket Dance) e Akira Amano (Reborn) que obtiveram sucessos na revista principal e também estão publicando lá. Todos esses mangás originais são publicados digitalmente, porém como volumes eles saem fisicamente e podem ser comprados nas lojas.

Jump Square

Frequência: Mensal
Demografia: Shounen
Criação: 2007
Circulação: 246,667
Mangás de destaque: Claymore, Ao no Exorcist, Rosario to Vampire Season 2, To Love Ru Darkness, New Prince of Tennis, Owari no Seraph, Tegami Bachi, Twin Star Exorcists, Binbougami Ga

Também conhecida como Jump SQ, a revista estreou no fim de 2007 para substituir a recém descontinuada Monthly Shounen Jump que existia desde os anos 70. Com o fim da revista, os mangás da revista anterior como Tegami Bachi, Rosario to Vampire Season 2 e Claymore passaram para a Square Jump. A Jump Square tem primariamente mangá como sua parte principal mas algumas edições também podem incluir Light Novels e também one-shots.

Além da revista principal, existem edições especiais como a Jump SQ II com somente 3 edições publicadas até o momento desde sua introdução em 2008 e a Jump SQ Crown que é publicada trimestralmente desde o fim da Jump SQ 19 em 2015. Na Jump SQ Crown há vários one-shots, histórias paralelas de mangás da Jump Square e séries próprias como D-Gray Man (que era da Shounen Jump, Square Jump e Jump SQ 19 antes), além de Kekkai Sensen Season 2 (que também era da Square Jump, terminou e voltou na Jump SQ 19).

V-Jump

Frequência: Mensal
Demografia: Shounen
Criação: 1993
Circulação: 391,667
Mangás de destaque: Dragon Ball Super, Yu-Gi-Oh! Arc-V, Dragon Ball Heroes Victory Mission, Shin Megami Tensei IV -Prayers-, Shadow Lady, The Return of Dr Slump

A V-Jump surgiu como sucessora da Hobby’s Jump que era um spin-off da Monthly Shounen Jump nos anos 80. A V-Jump é uma revista primariamente feita para jogos de videogame, cards e arcades baseados em propriedades shounen da Shueisha com notícias, entrevistas e diversas páginas sobre. Além dos jogos baseados em anime e mangá da Shueisha, há também novidades sobre Dragon Quest e Final Fantasy devido a proximidade da Square Enix com a revista. Ao mesmo tempo, a revista também possui diversos mangás baseados em jogos de video game mas também séries originais como Dragon Ball Super e Yu-Gi-Oh Arc-V.

Saikyo Jump

Frequência: Bimensal
Demografia: Shounen
Criação: 2010
Circulação: 183,334
Mangás de destaque: Koro-sensei Q, Dragon Ball SD, Rock Lee no Seishun Full-Power Ninden, One Piece Party, Chopperman, Bleach 4-koma: Komaburi

Ao contrário de outras revistas, Saikyo Jump é focada mais na revista em si do que nos mangás. A revista contém bastante material promocional e coletáveis. Os mangás presentes na revista são em sua maior parte gag mangás ou chibi spin-offs de mangás já estabelecidos da Shounen Jump e V-Jump como Dragon Ball, Naruto, One Piece, Bleach, Assassination Classroom e outros. A revista também possui vários mangás baseados em jogos de videogame.

Weekly Young Jump
 

Frequência: Semanal
Demografia: Seinen
Criação: 1979
Circulação: 550,000
Mangás de destaque: Gantz, Tokyo Ghoul, Kingdom, Umaru-chan, Terra Formars, Elfen Lied, Liar Game, Zetman, B Gata H Kei, Golden Kamuy, Real, Kaguya-sama, Innocent

Entrando agora na área de demografia voltada para adultos pela primeira vez, a Young Jump é uma revista de mangás com foco em sua maioria a mangás mais violentos, transgressivos e sexuais devido ao público em que o é focado, o que embora não signifique que todo mangá na revista atenda ou precise atender a esses requisitos. A Young Jump é a maior revista Seinen do Japão e é onde os seinen mais vendidos da história como Gantz e Kingdom foram publicados.

Desde os anos 90 a revista passou a colocar gravure idols (modelos) em como enfoque da capa na maior parte das edições, o que fez com que a revista tivesse dois públicos diferentes para cada segmento. Apesar disso, a parte das modelos ocupa muito pouco espaço com os mangás em si e com o conteúdo de mangá, contendo dezenas de páginas para isso enquanto no caso de mangá há centenas de páginas para os mesmos.

Assim como outras revistas da Shueisha, a Young Jump possui duas edições especiais chamadas de Miracle Jump (Mensal) e Aoharu (Lançada Irregularmente). Originalmente Ultra Jump era também uma edição especial mas passou a ser uma revista própria.

Da mesma forma que a Shounen Jump possui uma revista digital, a Young Jump também possui a sua que é chamada de Young Jump Web Comics (também conhecida como Tonari no Young Jump) em que possui títulos originais na revista, com seu maior título sendo One Punch Man que é um remake da web comic original de ONE sendo reescrita e desenhada por Yusuke Murata. Da mesma forma que a Shounen Jump+, essa publicação também possui volumes físicos além das edições digitais.

Ultra Jump

Frequência: Mensal
Demografia: Seinen
Criação: 1995
Circulação: 43,000
Mangás de destaque: Bastard, JoJo’s Bizarre Adventure: Parte 7 e Parte 8, Hayate x Blade 2, Tenjou Tenge, Gunmm, Abara, Biomega, Dogs: Bullets and Carnage

A Ultra Jump começou como uma edição especial da Young Jump em 1995 até virar oficialmente uma revista independente em 1999 e ser publicada dessa forma desde então. A Ultra Jump é sem sombra de dúvidas uma das revistas com a menor circulação da Shueisha por uma grande margem e com isso uma das menos populares com o motivo de que não possui muitas séries populares e boa parte dos mangás são adaptações de Light Novels, manhuas, TCG e outras coisas, apesar de já ter tido muito material original no passado.

A revista também possui uma significativa quantidade de mangás que vieram de outras revistas ou editoras como Jojo (Shounen Jump), Bastard (Shounen Jump), Hayate x Blade (outra editora, no caso ASCII Media Works).

Grand Jump
 

Frequência: Duas edições por mês
Demografia: Seinen
Criação: 2011
Circulação: 181,667
Mangás de destaque: Bartender, Gokujyo, Dashi Master, Mankitsu, Black Tiger, Garçon, Captain Tsubasa: Rising Sun, Otome no Teikoku, Jigoku Sensei Nube Neo, Innocent Rouge, Funouhan

A Grand Jump foi criada em 2011 em uma fusão entre as revistas seinen Business Jump e Super Jump criando uma nova revista no meio disso tudo. Várias das séries das duas revistas passaram para a nova revista e uma revista irmã chamada Grand Jump Premium foi criada, onde há algumas séries que também são publicadas lá.

Fora os títulos originais da revista, há também spin-offs de séries de outras revistas como Captain Tsubasa e Jigoku Sensei Nube (Shounen Jump) e Terra Formars e Innocent (Young Jump)

Ribon

Frequência: Mensal
Demografia: Shoujo
Criação: 1955
Circulação: 181,667
Mangás de destaque: Kodomo no Omocha, Gokinjo Monogatari, Tenshi Nanka ja Nai, Aishiteruze Baby, Chibi Maruko-chan, Marmalade Boy

E entramos na nossa primeira revista sem Jump no nome após tanto tempo. Como lembrando anteriormente, somente as revistas masculinas são parte da linha Jump enquanto as destinadas ao público feminino não possuem algo do tipo. A Ribon é uma das revistas shoujo mais antigas do Japão e também lar de grandes sucessos da demografia.

Ao contrário de outras revistas, boa parte das séries da Ribon raramente ultrapassam os cinco anos de publicação e também há bastante séries que duram poucos volumes.

Margaret

Frequência: Duas edições por mês
Demografia: Shoujo
Criação: 1963
Circulação: 46,500
Mangás de destaque: Rosa de Versalhes, Hana Yori Dango, Orpheus no Mado, Claudine, Hirunaka no Ryuusei, Switch Girl, Hibi Chouchou, Ace o Nerae

A Margaret é a segunda revista mais antiga da Shueisha, atrás apenas da Ribon que ocupa essa posição. Apesar de hoje em dia ter uma circulação baixa na revista principal em relação a outras revistas shoujo, a Margaret é a maior revista shoujo da Shueisha devido a quantidade de circulação que a linha Margaret produz com seus spin-offs, onde sozinha ela não é tão grande mas com toda sua linha é a maior linha shoujo da editora.

A Margaret também possui duas revistas spin-off que fazem parte da linha Margaret comics que são no caso a The Margaret e a Bessatsu Margaret que virou uma revista independente depois.

Bessatsu Margaret

Frequência: Mensal
Demografia: Shoujo
Criação: 1964
Circulação: 186,667
Mangás de destaque: Aoharaido, Lovely Complex, Kokou Debut, Cat Street, Kimi ni Todoke, Ore Monogatari, Beniiro Hero, Ookami Shoujo to Kuro Ouji, Strobe Edge, Itazura no Kiss, Nijiro Days

A Bessatsu Margaret (também conhecida como Betsucoma) foi criada inicialmente como um spin-off da revista Margaret mas por ter ficado tanto tempo sendo publicada, a revista acabou virando independente com o passar das décadas e sendo sua própria coisa dentro da franquia Margaret, o que garantiu tal independência.

Apesar de ser uma revista dedicada a shoujo e ser da mesma demografia da Margaret e The Margaret, a Betsucoma visa histórias um público mais maduro que as duas revistas anteriores.

Cookie

Frequência: Bimensal
Demografia: Shoujo/Josei
Criação: 1999
Circulação: 48,000
Mangás de destaque: Nana, Honey Bitter, Clover, Bitou Lollipop, Good Morning Kiss

Cookie começou como uma edição especial da Ribon sendo especificamente um rebranding da revista Bouquet que viria a terminar em 2000. A partir dali, todo o staff da Bouquet foi para a Cookie que virou uma revista independente da Ribon e o é até hoje.

Considerada um tentativa de chegar até garotas adolescentes como Ribon Teens tentou por anos, a Cookie tem uma situação interessante em que o material da revista é vista horas como Shoujo e horas como Josei devido ao fato de que sua audiência é mais velha que a Ribon (Shoujo) e mais nova que a Cocohana (Josei). Devido a isso, a revista possui essa distinção em relação a maioria das revistas.

Cocohana

Frequência: Mensal
Demografia: Josei
Criação: 2011
Circulação: 64,333
Mangás de destaque: Kakukaku Shikajika, Bread and Butter, Pride, Marmalade Boy Little, Clover Trèfle

A Cocohana é a revista mais nova dentre todas as revistas da Shueisha destinadas ao mercado feminino com suas revistas contemporâneas começando nos anos 50 (Ribon), 60 (Margaret, Bessatsu Margaret), 80 (You, The Margaret, Office You) e 2000 (Cookie). A revista é uma sucessora da antiga revista Chorus.

A maioria das séries não demoram muito tempo para terminar, apesar de que autores geralmente voltam para trabalhar em novas.

Destinada ao público Josei ao lado da revista You, é a mais consistente revista josei sendo publicada mensalmente desde sua criação, ao contrário das outras duas revistas Josei que são publicadas bimensalmente. No passado a Chorus era colocada na linha Queen’s Comics mas desde que virou Cocohana está sendo lançada na linha Margaret Comics com o nome Cocohana aparecendo abaixo do tradicional logo.

You

Frequência: Bimensal
Demografia: Josei
Criação: 1982
Circulação: 84,667
Mangás de destaque: Osomatsu-san, Gokusen, Real Clothes, Koudai-ke no Hitobito, Dame na Watashi ni Koishite Kudasai, Synchro Onchi

You começou a ser publicada em 1980 como uma edição especial da revista de moda da Shueisha chamada de Monthly Seventeen até que em 1982 passou a ser uma revista independente de mangás. Destinada a demografia Josei, que era algo relativamente novo para a época, a You passou a ganhar vários spin-offs sendo dois deles sucessos grandes como Young You (que hoje não existe mais) e Office You que foi criada em 1985 e que continua até hoje.

E com isso completamos tudo. Coloquei aqui as principais revistas existentes da Shueisha explicando o máximo que deu. Algumas partes foram minhas, outras foram traduções mas o objetivo principal foi concluído que é de aumentar o interesse nesse tipo de assunto com esse texto. Isso não é para substituir as fontes mas para abrangir o interesse nas mesmas com esse pequeno gosto. Espero que tenham gostado do texto em questão e que mesmo que não tenham o interesse de ir pesquisar mais, esse texto tenha servido para informar ao leitor que não sabe inglês ou mesmo não pretende ir atrás.

Fontes:
Wikipedia americana
Comicvine

Deixe uma resposta