Arco X Arco – Boku no Hero Academia: Exame de Entrada

Boku no Hero Academia (ou My Hero Academia dependendo do seu gosto pessoal) começou a ser publicado na Shonen Jump em Julho de 2014 e é escrito e ilustrado por Kohei Horikoshi.

Como ele estreou na revista muito próximo do final de Naruto (que acabou em novembro de 2014), ele foi visto como seu sucessor.

Boku no Hero Academia já foi uma das minhas séries favoritas, mas com o passar do tempo ele veio piorando e se tornou só aquele mangá que tem umas cenas legais no meio de muita coisa ruim. Escrevendo essa série de textos sobre ele eu quero ver exatamente onde a história começou a se perder.

O arco do Exame de Entrada vai do capitulo 1 ao 4 do mangá e do episódio 1 ao 4 do anime e conta basicamente como Midoriya ganhou seus poderes e a sua entrada para a U.A, a melhor escola de heróis do japão.

O MUNDO É INJUSTO

A primeira coisa que você descobre lendo Boku no Hero é que a sociedade desse mundo é horrível. A primeira frase do mangá é “A igualdade de condições é uma grande mentira”, e nesse momento do mangá você supõe que essa desigualdade exista entre as pessoas com poderes em relação as comuns. Isto acontece principalmente na cena da escola, onde basicamente todos os alunos falam para Midoriya desistir de ser um heroi por não ter nenhum poder. Mais tarde, porém, esse aspecto será explorado de outras formas. 

A ideia funciona para apresentar o conceito inicial deste arco e da história de Boku no Hero: Poderes não definem se a pessoa é um herói.

Midoriya é uma pessoa destinada a um trabalho de segundo ou até terceiro escalão nesse mundo por não ter poderes. Ninguém acredita que ele pode seguir o seu sonho de virar um herói. Até mesmo o símbolo de esperança desse mundo e seu herói favorito, o All Might, fala para ele desistir desse sonho quando eles se conhecem em um breve momento.

Porém, em um momento de extremo perigo, Midoriya mostra que ele tem a base do que é um herói de verdade: o desejo de salvar as pessoas não importa o que aconteça. Assim, All Might vê nele um exemplo para as novas gerações e decide confiar nele o futuro.

O MELHOR PODER DO MUNDO, MAS….

Quando All Might explica seu poder e decide passá-lo para Midoriya eu achei que esta talvez fosse uma história sem conflitos reais. Temos esse cara que não tem poder e agora ele tem, de forma muito simples e fácil. Felizmente, as aparências enganam.

Uma ideia muito boa de Boku no Hero é que poderes tem contrapontos. E quanto mais forte o poder, maior será o contra ponto.

O Midoriya, por exemplo, tem que treinar 10 meses que seu corpo não vá ser obliterado pelo poder do All Might. Mesmo depois disso, quando ele utiliza o poder, os seus ossos são destruídos. Isso gera um cenário muito interessante em que o nosso protagonista tem O poder mais forte do mundo, mas não pode usar ele por não aguentar. Um balanceamento oportuno para que a história não fique desinteressante.

VS ROBÔS GIGANTES

O final desse arco é o momento mais mediano da introdução da história. Serve mais para fixar na cabeça a ideia de que são as ações que fazem os heróis, não os poderes. Também serve para apresentar alguns personagens que vão ter um papel ativo no mangá fazendo parte da classe de Midoriya.

Falando neles, é engraçado ver como os personagens mudaram no decorrer no mangá. Alguns de forma positiva, como o Bakugou e outros para maneiras negativas, como a Uraraka.

Concluindo o primeiro arco de Boku no Hero Academia, Midoriya consegue entrar na U.A e começa a seguir o seu sonho de virar o maior herói de todos.

Ler este mangá depois de saber o que acontece para frente deixa um sentimento de tristeza pelo potencial desperdiçado que a série tem, principalmente nos próximos arcos…

2 comentários sobre “Arco X Arco – Boku no Hero Academia: Exame de Entrada

  1. “…com o passar do tempo ele veio piorando e se tornou só aquele mangá que tem umas cenas legais no meio de muita coisa ruim.”

    Discordo em gênero, número e grau dessa afirmação, mas vou aguardar os próximos textos para entender melhor os pontos. Obviamente cada um tem seus gostos e suas opiniões variam de acordo com os mesmos, mas reduzir Boku no Hero Academia a essa frase que poderia muito bem ser aplicada a BLEACH, é no mínimo curioso e estranho.

    1. Posso ter sido um pouco hiperbólico nessa frase, mas vou procurar explicar melhor os meus argumentos mais para frente, principalmente porque nesse começo as coisa ainda são realmente boas

Deixe uma resposta